Broa Caseira

Não somos muito fiéis ao pão. Não o comemos só por comer nem o costumamos ter em grande abundância cá por casa – na boa das verdades às vezes até nos esquecemos dele. Preferimos compra-lo apenas na necessidade de o usar e do escuro ou com sementes.
Mas há  um tipo de pão que nunca renegamos, mesmo que isso implique perder uma manhã inteira à volta dele.


broa receita pão
Foi então num destes Domingos que madrugamos. Bem sabemos o sacrilégio que cometemos mas não resistimos a ter broa acabadinha de sair do forno para o pequeno-almoço – e almoço, que a receita rende muito. E nem os poderosos tentáculos da cama conseguiram impedir-nos de metermos as mãos na massa e criar a deliciosa e crocante broa da avó da Gorda. Apesar desta receita, preferencialmente, ser feita em forno a lenha, garantimos que o elétrico fará igualmente o seu trabalho conferindo o efeito estaladiço pretendido.
Esta é – garantimos – uma daquelas receitas que quererão reproduzir vezes sem conta especialmente se vocês, tal como a Gorda, vêm de uma família nascida e criada na aldeia com tradições bem marcadas e que passam de geração em geração.

Para fazerem a broa igual à da avó da Gorda precisam de:
[estas quantidades rendem duas broas médias]

1 noz fermento de padeiro
1/2 colher de sopa de açúcar (usamos RAR)
1,5 colher de sal grosso
1kg de farinha de trigo (usamos sempre Espiga Tipo 65)
2 chávenas bem cheias de farinha de milho (usamos sempre comprada diretamente no moleiro)
1 mão cheia de farinha de centeio da terra* (usamos sempre comprada diretamente no moleiro)
1 mão cheia de farinha de trigo da terra (usamos sempre comprada diretamente no moleiro)
Água morna q.b.
Farinha de trigo q.b.

Começamos por preparar uma bancada limpa que polvilhamos com farinha e preparamos um salazar para usar mais tarde. Vertemos farinha de trigo para uma tigela de forma a termos sempre à mão alguma para amassar.
Dissolvemos o sal em 2 dedos de água quente e reservamos. Fazemos o mesmo processo com o fermento (usando água morna) e misturamos à água salgada.
Peneiramos para uma bacia grande todas as farinhas (convém não saltarem o processo de peneira especialmente se usarem as farinhas vindas do moleiro já que trazem imenso farelo que pode tornar a broa mais áspera) e o açúcar e misturamos com as mãos para envolver todas as farinhas.
Fazemos um buraco e juntamos o fermento juntando tudo com as mãos. Aos poucos começamos a verter água morna e, com movimentos circulares, vamos juntando toda a farinha. Quando a massa colar aos dedos e parecer elástica usamos os nossos dedos para a “furar” (quase como se estivéssemos a massajar com os dedos abertos). Neste momento, a massa tem que estar colada às vossas mãos.
Passamos a massa para a bancada enfarinha e, com a ajuda de um salazar, rapamos tudo o que ficar colado na bacia. Enfarinhamos as mãos para retirar toda a massa presa, polvilhamos e começamos a amassar com os nós dos dedos acrescentando farinha na bancada e na massa sempre que necessário. Estará boa quando não colar às mãos e principalmente se, ao toque, voltar para cima.
De forma a ativar o glúten e permitir que levede bem, pegamos na massa e atiramo-la para a bancada com bastante força umas cinco ou seis vezes.
Enfarinhamos a bacia que usámos previamente e deixamos a massa repousar por 1 hora ou até duplicar de tamanho tapada com dois panos de cozinha limpos e secos num lugar quente e sem correntes de ar. Logo de seguida, ligamos o forno a 250º (ou na temperatura máxima do forno de cada um) com um tabuleiro lá dentro deixando-o assim até a massa ter levedado.
Finado o tempo de levedura, com a ajuda de um pano, retiramos o tabuleiro do forno e enfarinhamo-lo. Dispomos a broa no formato que pretendermos, enfarinhamos, fazemos um corte e coze por 1hora ou até ficar tostado.

Bom apetite!
Receita natal pao tradição receita pinha pao

Usem a hashtag #gordoegordaontour para vermos as vossas receitas, viagens e ideias guiadas por nós! Estamos ansiosos.


Nota: Se, ao provarem, acharem que a vossa broa esta insossa, é sinal que fizeram bem a receita. Na família preferimos usar menos sal e evitar termos pão salgado que é bastante desagradável. Mas podem acrescentar a quantidade que preferirem.
Nota²: A massa pode levar mais do que uma hora a levedar. Tudo depende do espaço onde a puserem que deve ser quentinho e seco.
Nota³: “Centeio da Terra” ou “Trigo da Terra” são farinhas moídas no moleiro à moda antiga. Se não arranjarem, podem usar farinha embalada.
Nota⁴: Não exagerem no centeio. A massa pode ficar demasiado presa.


Broa_Score

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s