On Tour #14: Roma (Parte 1)

A grande viagem de 2016 ficou para o fim do ano. Normalmente, e se bem se recordam, tínhamos o hábito de viajar por altura do Dia dos Namorados (podem reler as nossas aventuras aqui, aqui, aqui e aqui) mas no ano passado não deu.
Há muito que o Gordo tinha o desejo de rumar até terras italianas. Apesar de toda a Itália ser merecedora de visita, tínhamos que começar por algum lado e decidimo-nos pela capital.
Roma é uma cidade enorme e todas as ruas – mesmo que vos pareçam que não – merecem uma visita ou passagem por lá.

O que precisam saber ao programar a viagem:

  • Do Porto, e pela Ryanair, só há viagens a partirem às segundas e às sextas. Nós, que já sabíamos que teríamos muito para visitar e caminhar, aproveitamos os dias úteis e rumámos até a capital italiana numa segunda-feira, voltando no final da semana. Foi bom mas precisávamos de, pelo menos, mais um dia. Por isso, e a não ser que só queiram fazer check nos monumentos e zonas mais turísticas, tentem fazer planos para uma viagem de 4 dias – nunca menos. O único senão são os preços das viagens que nem sempre são simpáticos. É uma questão de darem uma vista de olhos todos os dias ao site de viagens.
    PiazzaSpagnaHouse.jpg
  • Definam bem, e de antemão, o que querem ver. A cidade é verdadeiramente grande e há pontos de interesse para todos os turistas (a grande parte deles gratuitos!) por isso não há razões para torcerem o nariz e não irem até à capital romana. Um outro ponto a favor é que as entradas para o Coliseu, Museu do Vaticano, e outros pontos podem ser compradas com antecedência. Mas já falaremos sobre isso. 
  • Toda a gente fala inglês e, com sorte, arranham espanhol. Ótimas notícias, não acham?
  • A taxa municipal que se paga em Roma é ligeiramente alta. O valor a pagar são 4€ por pessoa e por dia e pode já estar incluído (ou não) no valor do quarto de hotel.
  • A cidade não é perigosa. Por causa do elevado número de turistas que chegam à capital diariamente, o contingente policial nas ruas é imenso, constante e está bem distribuído. Por isso, não há grandes preocupações nesse sentido.
  • No verão faz muito calor e no inverno faz muito frio. Roma é conhecida por ter estes extremos meteorológicos e, por vezes, em épocas de calor, assemelhar-se a um país tropical por causa das trovoadas e das chuvadas imensas que fazem alagar muitas ruas. Nós escolhemos o inverno. Conseguimos apanhar tempo seco mas realmente muito frio. O melhor para andar por lá é o calçado quente, leve e prático, roupa quente e leve e cachecóis e luvas quentinhas. Aviso para as meninas: privilegiem as malas a tiracolo.
  • A água mineral natural italiana não é propriamente a melhor (tanto que nem os italianos a bebem frequentemente) fazendo lembrar a espanhola com uma textura salobra e pesada. A alternativa é a água gaseificada, mais fácil de beber e com vários níveis de intensidade do gás.
  • Roma tem linha de metro, muitos táxis e autocarros mas nós preferimos aliar-nos ao conforto e usar o sistema da Car2Go. Este sistema nasceu na Alemanha, em 2008, mas já existe em dezenas de cidades europeias, americanas e, mais recentemente, asiáticas. Através da aplicação Car2Go (disponível para iOS e Android) podemos alugar um Smart de 2 lugares e, com a cobrança de 0.24€ por minuto (este valor é válido para Roma), deslocamo-nos para qualquer lugar em Roma. Basta, para isso, que (e depois de se registarem e associarem um cartão de crédito) liguem o GPS, reservem um dos muitos carros disponíveis pela cidade (têm cerca de 20 minutos para chegarem até ao pé de um), o desbloqueiem e desfrutem de uma viagem mais ou menos descontraída. Dizemos mais ou menos porque Roma é o verdadeiro caos para conduzir por isso se não são nenhuns mestres ao volante, passem essa responsabilidade ao vosso parceiro ou amigo. Se vocês forem mais do que dois, há o serviço Enjoy no qual conduzirão um Fiat 500 e se sentirão verdadeiros italianos.

O que visitar:

Quando planeámos a viagem já sabíamos que iríamos caminhar muito. Roma demora algum tempo para ser visitada, há escolhas a fazer e, por isso, tivemos que estabelecer prioridades. A cidade, felizmente, tem milhentos sítios com entrada gratuita para serem visitados e apreciados e isso facilita imenso as coisas. Mas não julguem que os sítios com entrada paga não valem a pena! Vejam só as nossas sugestões – e preparem-se para fotos de fazer cair o queixo:
Porque não passam, também, pelo nosso Instagram e se deliciam com outras fotos de Roma que temos por lá? 

  • Fontana di Trevipassagem e paragem obrigatória! A Fontana está sempre à pinha e é (praticamente) impossível tirarmos fotos sem termos alguém a fazer-nos photobomb, mas não se aborreçam. As imagens esculpidas na fonte são de cortar a respiração. Os pormenores vão ao ínfimo detalhe e faz-vos questionar como era possível fazer tais obras de arte com tão poucos recursos. Esta fonte, cujo início de construção data de 1730, esteve cerca de 2 anos fechada ao público devido a limpeza das mármores que a constroem. Hoje já está linda e airosa e pode ser visitada em qualquer altura do ano e período do dia.
  • Coliseu – O Coliseu é um dos pontos de visita mais importantes de Roma e, depois de irmos até lá, entendemos bem porquê! Ainda que esteja em ruínas – e em boa verdade também é isso que lhe dá o charme – o Coliseu esconde, por entre pedras e areia, histórias incríveis. Construído em 70 D.C. com o intuito de albergar lutas de gladiadores (que tiveram o seu fim em 400 D.C.) e, posteriormente, lutas entre homens e animais selvagens, execuções e peças de teatro, o Coliseu, depois de vários incêndios e mudanças de reinado, serviu, no seu fim, de albergue, oficina, fortaleza e até para sede de uma ordem cristã. Hoje é possível visitar este monumento e ouvir, com clareza, os muitos segredos. Os bilhetes podem ser comprados com antecedência e dão possibilidade de visitarem o Foro Romano e o Foro Palatino.
  • Foro Romano e Palatino – Ainda que o bilhete do Coliseu permitisse, infelizmente, não fomos a tempo de visitar os dois foros tendo-nos que contentar, apenas, com o que os olhos vêem. Tanto o Foro Romano (foto 1) como o Palatino (foto 2) são as zonas onde, supostamente, Roma teve início e serviam de local de habitação para os romanos e imperadores da época. Hoje podem ser visitados com áudio guias e, durante o verão, todos os interessados por este período têm a oportunidade de poderem fazer uma visita interativa na qual, e através da reconstrução virtual das ruínas, passam a conhecer o modo de vida da época. Nós não a fizemos mas sabemos que vale imenso a pena. Ah, e estes dois foros ficam coladinhos ao Coliseu, por isso, aproveitem bem.
    foro-romano
    foro-palatino
  • Palazzo Valentini – esta foi uma das surpresas da viagem e temos que vos obrigar a ir! Se não visitarem o Palazzo vamos ficar muito zangados. O “Le Domus Romane di Palazzo Valentini” permite-nos fazer, nada mais nada menos, do que uma visita a uma das imensas catacumbas que há no subsolo de Roma. Mas estas são especiais e extremamente bem estudadas e estruturadas. Lá podemos tomar conhecimento de como era Roma Antiga, de como se vivia na época, quais os luxos (e que luxos!), quais as inovações e é tudo feito e mostrado através de uma espetacular visita interativa que vai para lá da vossa imaginação. Infelizmente não temos fotos ou vídeos para vos mostrar porque além de ser proibida a captação de imagens, mesmo que quiséssemos, seria impossível fazê-las porque estamos constantemente às escuras.
    Podem comprar os bilhetes via internet aqui e custam, cada um, 13.50€. Esperamos ter-vos aguçado o apetite com o nosso fervor por esta visita.
  • Piazza del Popolo – Esta praça é ótima para servir de ponto de partida para os vossos passeios pela cidade. Dá entrada por uma porta, chamada Porta del Popolo, e alberga uma lindíssima igreja (qual é que não é?) chamada Chiesa Santa Maria del Popolo, construída no século XV, e um imponente pelourinho a marcar o centro.
    Da praça podem dirigir-se à Via del Corso, que é uma das principais ruas escolhidas pelos turistas e italianos para fazerem compras.
    PiazzadelPopollo.jpg
  • Igrejas – O título tem que ser este porque senão seríamos obrigados a dedicar um post às igrejas que visitámos e isso seria poderia ser aborrecido para vocês. É impossível vermos todas as igrejas que há espalhadas pela cidade. Simplesmente impossível e nós, entusiastas da arte sacra, tentámos ver o maior número possível e ficamos de queixo caído com cada uma que vimos. É impraticável eleger a melhor.
    Uma coisa é certa: todas as igrejas que vos vamos mostrar (e que terão menção, também, no nosso Instagram) estão na rua, à mercê de todos os visitantes, são de entrada gratuita e passam, por fora, por banais locais de culto católico. Mas tudo muda quando as decidimos visitar por dentro. A magnificência, a pomposidade, a riqueza, o imperialismo, o bom gosto, a beleza, a monstruosidade (boa!), a grandeza, o exagero das igrejas romanas deve ser elevado ao cubo e superam qualquer ideia que vocês possam ter das mesmas.
    Um facto curioso em todas as igrejas é que não há teto que não mereça uma fotografia ou altar que possa ser passado à frente sem registo. Por isso preparem-se para andarem sempre de nariz para o ar (nunca um nariz empinado fez tanto sentido) e de máquina na mão.
    De todas as igrejas que visitámos escolhemos quatro. A Chiesa dei SS. Ambrogio e Carlo, a Chiesa della SS.ma Trinitá, Chiesa di Gésu i Maria e a Chiesa San Luigi dei Francesi (onde estão três dos mais bonitos quadros de Caravaggio).

    Chiesa San Luigi dei Francesi 2.jpg

A nossa viagem foi enorme. Visitámos muitos espaços, igrejas e pontos de interesse, caminhámos vários quilómetros e aprendemos muito sobre a fantástica história da capital romana.
Por isso, e para vos aguçar ainda mais o apetite, mostrar-vos-emos a continuação da nossa viagem (com a parte mais gulosa incluída) num outro post que chegará muito em breve.

Fiquem atentos e até já!


Fontana di Trevi – Piazza di Trevi, 000187 Roma
Coliseu – Piazza del Colosseo, 1, 00184 Roma
Foro Romano e Foro Palatino – Via de San Gregorio
Palazzo Valentini – Via Foro Traiano, 85, 00186 Roma | Telf: +39 06 32810
Basilica dei SS Ambrogio e Carlo – Via del Corso, 437, 00186 Roma
Chiesa della SSma Trinitá – Via dei Condotti, 00187 Roma
Chiesa di Gésu i Maria – Via del Corso, 45, 00186 Roma
Chiesa San Luigi dei Francesi – Piazza di San Luigi de’ Francesi, 00186 Roma


Também andamos pelo Instagram.

Anúncios

One thought on “On Tour #14: Roma (Parte 1)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s